segunda-feira, 14 de julho de 2014

O Homem da Bola de Berlim não apareceu



Já lá vão 35 ou 36 anos desde a primeira vez que rumou até sul. Era uma noite de viagem com amigos e amigas. Depois de alguns anos afastada dos mouros voltou.

Há onze anos que é assim. Foram raros os anos que o verão não passou por Lagos. Fazia-lhe bem. Se para alguns era Janeiro o tempo dos balanços, para ela era aqui o lugar, e o verão marcava a hora de balanços e decisões.

Meteu-se a caminho pela fresca da manhã. Lagos é daqui a 5 horas. A última hora  de viagem o calor  apareceu em força,  27 graus depois dos 50 já se notam , o sono deu o ar da sua graça. Ainda uma paragem e um café, vidro aberto e continua-se.

Pelas 11 horas, instalada no apartamento, lençol em cima da cama e um soninho retemperador.

Por volta das 15,30 , debaixo de sol, redefinido o código de acesso ao condomínio,  a pé até à praia.  Mais ou menos 600 metros , um calor a lembrar que as férias começaram.

Areia escalda,  o corpo completamente suado a pedir água.  O mar à vista, saco de praia para a areia e aproxima-se da borda de água.

O frio da água soube-lhe bem. Entrou devagar, sorriu e recordou  os loucos mergulho que em tempos dava que  eram autênticos  choques térmicos,  molhou-se. Refrescou-se toda. Mergulhou uma vez. Três vezes na hora que se seguiu.

Virou-se para o areal, focou o seu saco, saiu da água e olhou-se.
Era agora um esqueleto rodeado já de bastante tecido adiposo, porém o primeiro dia de férias assim o exigia.

Estendeu a toalha, sacudiu a cabeça e o cabelo, sentou-se.

Cruzou os braços em volta das pernas e olhou em redor. Esperava o senhor da borla de Berlim sem creme. Nada.

Amanhã, sem falta, aparece o homem da “bola de berlim sem creme"
cs

2 comentários:

Graça Pires disse...

Conheço bem esses rituais do verão ao sul. As bolas de berlim, fantásticas. Talvez fosse o dia de folga do "homem da “bola de berlim sem creme".
Boas férias.
Abraço

Anónimo disse...

Boas férias! :)
No Magoito não se está mal, embora sem o "homem das bolas de Berlim".
Os fins de tarde também sabem bem, com um bom livro e música nos ouvidos, na cama de rede do quintal... E a Lua a iluminar as ruas à noite, na volta do café.

Beijos Solarengos

( Lua