quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Blue Moon







(roubado a uma amiga no FB)

Catarina Ivone : olá. sim, claro, o filme é ela. a sua melhor cena (para mim), com a interp mais adequada ao que se esperaria de uma mulher da condição dela numa situação daquelas, é quando é assediada pelo dentista. noutras tive sp a sensação de que um cadinho mais e era overacting, o que me incomodou. mas é sem dúvida uma das suas mais impressivas interpretações (embora em Elizabeth e Notes of a scandal tenha estado mt, mt melhor - sublime).
qt ao filme propriamente dito, é acerado. e usa algo que, se não me falha a memória, é inédito em woody allen: ir-se desvelando a história e, essencialmente, a protagonista, progressivamente. com uma série, pt, de twist-points. achei interessante. pq é esse o mecanismo que mais perturba o espectador (o hitchcock era mestre nisso).
o que mais incomoda neste filme é que não há um único personagem com o qual possamos criar empatia (contrariamente a todos os outros filmes dele, ou seja, mais uma novidade). o deserto emocional que ali está, e nos é criado, deixa-nos sem tapete.
e nem a música (banda sonora, as canções) nos salva, pq tb elas são de utilização cínica. como se allen tivesse chegado - ou nos tivesse querido levar - a um beco sem saída. tanto, que o filme acaba como começou.
enquanto filme 'sério', ficou longe dos Crimes e Escapadelas, não contém as lições de moral do Match Point e, num certo sentido, aproxima-se do Interiors - só que neste último havia uma outra densidade, ao nível dos diálogos, mais bergmaniana, mais dirigida ao efectivo interior, enquanto que Blue Jasmine é essencialmente um retrato sociológico, mais exterior, portanto.
gostei mas criou-me desconforto. melhor dito, mesmo tendo-me criado desconforto.

a acrescentar , apenas, uma interpretação (bem sei que é menor, para os entendidos, mas aquela que me lembrei no filme) de Cybill Shepherd. Blue Moon



1 comentário:

José María Souza Costa disse...

CONVITE
Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
Eu também tenho um, só que muito simples.
Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
Força, Paz, Amizade e Alegria
Para você, um abraço do Brasil.
www.josemariacosta.com