segunda-feira, 31 de maio de 2010

O mundo mudou e o Marketing Pessoal não vai chegar para se subir na vida

.
..

Sou daquelas que pensa que a maioria das pessoas que vão subindo na vida são, não as melhores, mas aquelas que estão no sitio certo, na hora certa e conhecem as pessoas certas (que são certas pelas mesmas razões) e sobretudo estão de bem com Deus e com o Diabo.
A flexibilidade tem sempre o seu umbigo como objectivo último.
Também me tenho vindo a aperceber que são pessoas com aquele ar que não fazem mal a uma mosca, sem escrúpulos e sem a mínima noção da falta da sua própria dignidade.
Até me parece, que a dignidade é variável hoje em dia descartada com enorme facilidade. Não conta.
A verdade é que o Mundo mudou.
A verdade é que isto não pode durar muito tempo.
A verdade da vida não pode ser alicerçada em falsear a verdade do dia-a-dia.
A verdade factual, não pode ser hoje uma coisa e amanhã outra coisa qualquer. Não se podem descartar as pessoas. Não se podem deitar fora pessoas que nos deram a mão e nos puseram num determinado caminho.
Vai ser toda uma geração, hoje entre os 25 e 30 anos, que embora o lamente terá de ser deitada ao lixo, salvo raras e honrosas excepções.
Uma geração que se vai rindo para Deus e o Diabo (para todos os que podem eventualmente servir-lhes num futuro, próximo, claro está) e espeta facas em quem se atravessar no seu caminho, encolhendo os ombros e com um sorriso nos lábios e olhar mais ou menos estudado/inocente, fazendo crer que não teria outra hipótese. Ou eles ou eu.
Ou eu ou eles é mesmo a única hipótese que vislumbra. Foram formatados para sobreviver, aprenderam não a trabalhar para alcançar alguma coisa na vida, mas que tinham de tirar do seu caminho qualquer que por lá, mesmo que inocentemente, passasse.
É claro que não existem gerações rascas. É claro que não existem meninos maus. É claro que eles são aquilo que foi produzido por uma Escola idiota.
É claro que eles não se sentem retratados neste texto.
É verdade que eles aparecem sempre com um sorriso nos lábios, mesmo depois de reuniões onde decidem quem vão aniquilar a seguir.
É verdade que ensinar a um filho o que é a dignidade hoje em dia não parece um investimento com futuro.
Mas eu acredito, que o futuro mesmo sendo já amanhã, pode ser com dignidade.
No futuro existirá uma geração que diz não vou por aí.
Uma geração que recusa viver sem princípios de DIGNIDADE E RESPEITO PELOS OUTROS.
Uma geração que será capaz de dizer NÃO.
Natal é quando um homem quiser………….Um futuro com cheiro a primavera é que era bom!!

.
.
.

2 comentários:

sem-se-ver disse...

«Não se podem descartar as pessoas. Não se podem deitar fora pessoas que nos deram a mão.»



completamente de acordo.

cs disse...

fico contente.