terça-feira, 1 de janeiro de 2013

O primeiro dia de 2013



Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente.

Carlos Drummond de Andrade

4 comentários:

via disse...

e vai ser diferente, nada se repete, e tudo de bom para este novo ano!

CCF disse...

Fantástico este poema!
Beijinhos
~CC~

sem-se-ver disse...

que entretanto já vai em 21. altura de o sinalizar por aqui, não? :)

fj disse...

aliás, estamos já no primeiro dia desde o dia em que a sem-se-ver aqui veio assinalar o dia 21. eis pois um dia notável.
:-)