sábado, 26 de janeiro de 2013

Afinal lá onde trabalho existe dinheiro!




Tomar decisões é muito difícil. Todos sabemos, ou pelo menos, disso temos uma ideia. Até porque quem toma decisões a maior parte das vezes não é especialista. É por isso, muito importante, saber escolher quem nos deve aconselhar. É outro problema. Saber escolher quem sabe. Saber perceber que nem tudo pode ser feito.

O pior  é os estragos nunca serem, devidamente,  avaliados e  tantas vezes irreversíveis.  Estamos em crise, existe dificuldade em prever quem consegue pagar pela saúde e se o número de doentes não tenderá a diminuir. Nesta altura, comprar mais equipamentos, com espaços  a serem encerrados ou em processo de fusão, com entidades privadas sem saberem o que fazer com equipamentos parados, como contribuinte, ofende-me. Revolta-me. E se isto não é verdade deveriam esclarecer-me.

Tenho dificuldade neste mundo dos mercados de perceber a "oferta de equipamentos"?!! Não existem almoços grátis nem hoje, nem ontem e nem amanhã. 

Esta coisa de informar e contra informar cansa-me…este País cansa-me. Todos os dias metem-me medo, todos os dias ouço coisas assustadoras, todos os dias sinto-me a ser empurrada contra uma parede. Todos os dias sinto-me a caminhar para um País feudal. 

A verdade é, dizem as más línguas,  vou ficar com 60 cm para trabalhar 6 ou 12 horas. E devo permanecer calada  porque arrisco a que alterem os turnos para  2 horas, e ao preço a que está a gasolina torna-se uma despesa acrescida. Todos estão calados e com medo. 

O jornalismo em Portugal é poucochinho. Chegará quando tudo estiver pronto, ou nem isso....

Isto não é escravatura, não senhora....este é o País que vou deixar ao meu filho. Ou não....

Este País não está a meu gosto...

2 comentários:

via disse...

dou-te razão, a informação é contraditória e assustadora, o medo é instrumento de opressão e resulta.

Lídia Borges disse...


De quando até as armas que temos foram desgastadas e corrompidas.

Este país não está a nosso gosto.

Lídia