domingo, 2 de dezembro de 2012

Evolução Humana - a tecnologia extensão literal do corpo humano!





Vivo no meio de computadores, iPAD, smartphones e Android. Transformo-me numa ciborguiana.  Já não sobrevivo sem a tecnologia. Não a sinto fora de mim, sinto-a em mim (acho que já li isto em qualquer lado).
Sobrevivo num complexo sistema de dispositivos de alta tecnologia. Nem a todos  domino e tornei  "dóceis", usando a terminologia foucauliana.

Mas são uma terrível presença hegemónica na minha vida. Estou sempre comunicável, por telemóvel ou sms,  localizada através de GPS. Ninguém me vê com os olhos mas tenho um corpo sempre localizado. Sinto-o, quase,  biologicamente sincronizado com as tecnologias. Os seus sons acordam-me e, sem mácula aparente, re - adormeço descansada. 

Inconscientemente o meu corpo está robotizado como o dos ANDRÓIDES.

Uma encruzilhada entre o mundo analógico, que sou,  e um mundo  digital que me envolve e enlaça. Sinto-me incompleta sem esta tecnologia que me rodeia.  Despida de parte de mim. 

O meu PC, o meu iPAD, o meu Androide, os meus E-Books e uma qualquer Cloud são o suficiente para sobreviver. A falta deles, ou o seu CRASH, são uma das minhas angústias. O marketing não tardará a oferecer apoio psicológico ao cliente que se vê privado por algumas destas tecnologias. 

Interessa-me, na exata medida em que incorporamos as tecnologias, como espacializamos (Foucault) a identidade e as relações sociais. Para lá dos átomos agora em bits. 

Este sucesso que evita tanto o contato pessoal, que facilita o contato do longínquo e, que torna longínquo o próximo. A assépsia tecnológica que permite novas formas de afetividade apenas digitais na sua materialização.

Acredito que todos queremos cada vez mais comunicar, interagir. E tanto mais dependentes destas tecnologias tanto mais famintos de afetos.

cs
Bom Domingo 

8 comentários:

Karine Tavares disse...

Parabéns pelo teu blog, é ótimo!
Vem conhecer o meu:

leiakarine.blogspot.com

via disse...

concordo. mas há que relativizar. nenhuma tecnologia é maléfica por si, nós temos que dar-lhe o valor que tem e ir beber uma bica com os amigos.

Maria de Jesus Lourinho disse...

A Via tem razão. Átomos e bits podem conviver pacificamente. E a foto é óptima

CCF disse...

Para mim é absolutamente assustador e resisto o mais que posso. Como objecto de estudo é fantástico. A nível pessoa faço tudo que posso para conseguir o equílibrio, faço questão de passar dias sem computador e desligo muitas vezes o TM. Aliás, nada como um passeio junto ao mar...
~CC~

cs disse...

via e mjl
Minhas meninas mas eu não faço aqui nenhum juízo de valor acerca das tecnologias. Nem das suas incompatibilidades ou fusões.
O que me interessa é estudar a incorporação das novas tecnologias nas nossas vidas. Apenas um olhar antropológico sobre a corporificação ciborguiana.

cs disse...

ccf

é material de estudo vastíssimo. Eu não resisto, sou uma ciborguiana assumida:)

Maria de Jesus Lourinho disse...

Pois, cs, eu também não fiz nenhum juízo de valor. Acho que, hoje em dia, ambas convivem bem, e eu com elas. No futuro será diferente (por um processo de acumulação?) mas como sempre digo, a vida vai mudando mas é como a cavalaria das tropas - não é melhor nem pior, é diferente.

cs disse...

mjl

eu, conforme mostra o texto, convivo bem..mas com este meu problema...questionando-me :-)

bjito
:)