terça-feira, 15 de maio de 2012

Canção Desnecessária/Canção Necessária






CANÇÃO NECESSÁRIA 


já sei que vacilei 
mil vezes relutei 
em te dizer o quanto 
cantarolei baixinho 
frases sibilinas 
quase irreais 


lancei meias palavras 
em que eu evitava 
o que queria tanto 
mas no que eu sussurrava 
havia fogo e lava 
prometendo mais 
querendo muito mais 


querendo o teu regaço 
que num minuto sem igual 
você me lesse 
não me esquecesse 
adivinhasse enfim 
não desistisse mais de mim 
e ouvisse no meu canto 
as tontas entrelinhas 
que silenciei 
por ti 


não pense que gastei 
as horas que levei 
a costurar o vento 
queimei tantos rastilhos 
que só explodiam 
lá no nunca mais 


arrepiei caminhos 
que me levariam 
mais que o pensamento 
fiquei vendo navios 
vivos e esquivos 
num imenso cais 
o mais imenso cais 


querendo o teu regaço 
que num minuto virtual 
você me lesse 
não me esquecesse 
adivinhasse enfim 
não desistisse mais de mim 
e ouvisse no meu canto 
as tontas entrelinhas 
que silenciei 
por ti 


prometo rios de leite 
com seus afluentes 
uma foz e o mar 
aceno com presentes 
que só o próprio tempo 
pode adivinhar 


se acaso eu te sentir 
a ponto de fugir 
definitivamente 
no último segundo 
eu grito: pára o mundo 
que eu só sei te amar

2 comentários:

fj disse...

adoro. a mônica salmaso tornou-se para mim uma quase obsessão.
simplesmente magnífica.

cs disse...

fj
da mónica tenho por aí uma cópia de um disco talvez de 2008. Nessa altura ouvi muito. Recentemente tenho ouvido umas coisas por paginas facebookianas interessantes. E transparece alguém interessante, coisa de que o mundo começa a ficar necessitado Lolll