quinta-feira, 6 de outubro de 2011

iOpinião

.

O primeiro produto que entrou cá em casa Mac foi este lindinho aqui em cima. O iMini é um CPU que não se dá por ele. Do tamanho de meia folha A4. O resto, confesso-vos, assim que a economia doméstica o permitir… Está prometido à trabalhadora cá de casa um Mac Pro lá para JaneiroJ. Um ecrã, ratos,iphone….etc

Posto isto, para dizer que não vivo rodeada de produtos Mac porque a carteira é curta. Este Steve Jobs (adorei este post da Filigrana) é um ícone desta loucura que se chama revolução tecnológica. Quando imagino um Tablet a sair de um bolso é Steve Jobs que me aparece, quando imagino as filas para comprar o último Windows, qual Harry Potter, aparece-me Satanás em forma de Bill Gates. A personificação de um capitalismo desmedido com cara de caridadezinha. O Steve surge-me meio ecológico, será com toda a certeza da Apple, aquela maçã é muito bonita.

Porque o meu imaginário terá arrumado estes dois senhores desta maneira?

Um Bill cheio da nota, açambarcador de um mercado que o Jobs sempre ambicionou e nunca conseguiu porque, é a minha ideia, os seus produtos eram mais “clean”, de maior qualidade, parece um produto não “capitalista”, um produto ecológico. Parece um capitalista de esquerda, amigo da Pixair.

Hoje passeava por blogues e pasmei este amor pelo senhor da Apple.

Não sei se o Steve era boa pessoa mas não percebo este amor.

Será que o senhor merece? Um santo?

Sou do contra, só pode…

3 comentários:

Carlos Azevedo disse...

Como personagem, era muito interessante e muitas vezes pensei, no que concerne às suas declarações, «é isso mesmo»; como pessoa, desenvolveu coisas coisas importantíssimas. Hoje, no meio de todos os textos que surgiram, comovi-me com um (que nem era um texto) e desatei a rir (no bom sentido) com um outro.
Mas, o que realmente me surpreendeu na adesão que refere é o facto de a maioria dos portugueses ser exactamente o oposto do think different de Steve Job. Coisas!

(E moi même ainda escreverei, talvez, alguma coisa.)

cs disse...

Carlos

foi um bom Marketeer, eu acho.
O resto não entendo!

Logo o lerei, Carlos...como é meu costume faz tempo:)

cs disse...

*
melhor, escolheu bons marketers para trabalhar com ele. O slogan da campanha de 1997 "think different", ele apenas emprestou a voz e é fruto do marketing viral, diz mal da Ibm para ver se ganha mercado. (Enfim, são restos de algum gosto pelo marketing ..não ligue..)