sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Da Solidão e da Doença, Sobre a Morte e Sobre a Vida de Rainer Maria Rilke

Companhia conjuntamente com a "Pain as Human Experience"

Sinopse
Retiradas da sua vasta correspondência, estas reflexões temáticas e significativas sobre Solidão, Doença, Morte e Vida de Rainer Maria Rilke, um dos poetas visionários para o terceiro milénio, irão fazer despertar as consciências e vidas de muitos de nós. Com este terceiro livro, encerra-se a recolha antológica dos pensamentos do poeta sobre as várias dimensões da natureza humana.
Excerto
«Porque é que as pessoas que se amam se separam antes que isso seja necessário?
[Porque] o amor, que é aparentemente o mais partilhado, pode desenvolver- se plenamente e, de certo modo, chegar à plenitude apenas sozinho, isolado.»
«A doença é o meio pelo qual um organismo se liberta do que lhe é estranho; é necessário então apenas ajudá-lo a estar doente, a ter a sua doença inteira e a escapar dela, pois esse é o seu progresso.» «A morte tornou-se algo progressivamente estranho apenas porque a excluímos num surto de reflexão, e, como a mantivemos na estranheza, tornou-se hostil.»
«A pequena sabedoria da vida consiste em esperar (mas esperar no estado de espírito certo, puro), e a grande graça que de tempos a tempos nos é concedida consiste em sobreviver...»

6 comentários:

mfc disse...

Sempre o admirei!
Tem uma visão do mundo única.

cs disse...

mfc
Um lutador ambicioso e um sofredor teimoso,parece-me.

Bípede Falante disse...

Inteligência não tem época. Estou impressionada e curiosa com esse livro.
Beijos

Salvador disse...

Identifico-me com o senhor na teimosia e capacidade de luta inesgotável...))

cs disse...

Salvador

neste caso, a teimosia de Rilke não lhe terá trazido muito. Com Leucemia, achava que o médico não deveria ter acesso à sua doença e terá sofrido dores terríveis.
:)

Graça Pires disse...

"A graça que de tempos a tempos nos é concedida consiste em sobreviver.." Só podemos estar de acordo. Gostei imenso do texto.
Um beijo.