quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Faltas-me

.





.

4 comentários:

Bípede Falante disse...

Sempre há uma falta.
Sempre.
E a gente nem sabe direito de que ou de quem.

cs disse...

Bípede

Colam-se a nós que nem lapas as faltas que a vida nos vai somando.

cirandeira disse...

Quando contamos as faltas que nos "abrigam", vemos e sentimos um GRANDE VAZIO...!

cs disse...

Vazio ou a absoluta noção do nosso nano-tamanho perante a enormidade do Universo?

Às faltas sobrevivi aglomerando saberes, lágrimas, dores, mas também, serenidade sacudindo o que não tem interesse nenhum.
"Somos finitos e é tudo tão efémero. Tão serenamente efémero que a vida se torna um conjunto de momentos de prazer e nunca um fardo."